TOPO
Fármacos biotecnológicos: São seguros? A quem podem ser administrados?

Fármacos biotecnológicos: São seguros? A quem podem ser administrados?

São a nova classe de medicamentos. Também são modificadores da doença e existem há cerca de 10 anos. Estes medicamentos são tecnologicamente mais evoluídos e apresentam grandes melhorias no controlo da doença. Podem ser administrados por via intravenosa e subcutânea. Pelas suas características, custo e efeitos adversos, implicam uma utilização muito controlada. Saiba tudo neste artigo!

Até há poucos anos, as opções terapêuticas disponíveis para os doentes reumatológicos eram limitadas e, muitas vezes, com resultados pouco encorajadores. No entanto, o aparecimento dos fármacos biotecnológicos veio revolucionar de forma positiva o prognóstico destes doentes.

Estes fármacos diminuem a reação inflamatória, através da ação sobre determinados agentes do nosso sistema imunitário, subdividindo-se em vários grupos, consoante o alvo terapêutico.

Aprovados em Portugal para tratamento de doenças reumáticas, temos agentes anti-TNF-alfa (infliximab, adalimumab, etanercept, golimumab e certolizumab), inibidores da interleucina-1 (anakinra e canakinumab), inibidores da interleucina-6 (tocilizumab e sarilumab), inibidores da interleucina-12/23 (ustecinumab), inibidores da interleucina-17 (secucinumab) e inibidores do CD-20 (rituximab).

A periodicidade com que são administrados é diferente entre eles (semanal, a cada 2 semanas, 1 vez por mês, a cada 6 semanas, de 6/6 meses, etc.) e pode adaptar-se de acordo com a resposta ao tratamento.

Os fármacos biotecnológicos podem ser administrados por via intravenosa ou subcutânea. No caso dos administrados por via endovenosa, geralmente são administrados em sessões no Hospital de Dia do seu hospital ou clínica. Os restantes poderão ser administrados no domicílio, pelo próprio doente ou por familiares, após ensino adequado pela equipa de enfermagem do respectivo serviço de Reumatologia.

É importante saber que os agentes biotecnológicos são fármacos globalmente seguros, mas que, em alguns casos, podem ter efeitos adversos. Os principais efeitos secundários encontram-se associados à imunossupressão, especialmente sob a forma de complicações infeciosas, mais frequentes nos primeiros seis meses do tratamento. Além disso, estes fármacos podem provocar reações no local de administração, reações alérgicas, citopenias (diminuição dos glóbulos vermelhos, brancos ou plaquetas) e agravamento de insuficiência cardíaca. Existe também um eventual risco, ainda que baixo, de certas neoplasias cutâneas e linfoproliferativas e de doença desmielinizante.

Quem pode ser submetido a tratamento?

Podem ser submetidos a tratamento com agentes biotecnológicos os doentes com Artrite Reumatóide, Espondilartrites (Espondilite Anquilosante, Artrite Psoriática e Espondilartrite não-radiográfica) ou Artrite Idiopática Juvenil que mantêm a doença ativa apesar da terapêutica adequada com os fármacos clássicos recomendados (p.e.: metotrexato ou leflunomida).

Sabe-se que os fármacos biotecnológicos também podem ser úteis no tratamento de manifestações de outras patologias, como a Arterite de Células Gigantes, o Lúpus Eritematoso Sistémico e a Síndrome de Sjögren.

Antes do início de qualquer um destes agentes, é necessário excluir a presença de determinadas doenças como insuficiência cardíaca, tuberculose, hepatite ou neoplasia. Para isso, o seu reumatologista irá solicitar alguns exames, tais como análises sanguíneas e de urina e radiografia de tórax.

As mulheres em idade fértil, devem ser instruídas sobre os potenciais riscos dos fármacos perante uma gravidez e, no caso de querer engravidar, esta deve ser planeada e optar-se pelos fármacos mais seguros e compatíveis com essa situação.

Da mesma forma, deve ser verificado o seu estado de saúde oral e o seu plano de vacinação. Irá realizar a vacina da gripe, que será administrada anualmente, e a vacina da pneumonia, de acordo com as normas em vigor. Poderá ser necessário fazer outras vacinas, tal como a vacina da hepatite B ou a vacina contra a Zona (Herpes Zoster).

Durante o tratamento com fármacos biotecnológicos, pode haver necessidade de os suspender, pelo que deve informar o seu reumatologista sempre que apresentar infecções, tiver necessidade de realizar cirurgias ou tratamentos dentários.

Sabia que…

….Os doentes sob terapêutica biológica devem ser avaliados na consulta de Reumatologia, pelo menos uma vez a cada três meses, fazendo análises também de forma regular.

Inserir Comentário